Artigos

Você sabe lidar com feedback… “Positivo”?

Há alguns anos estava envolvido em um projeto em que liderava equipes e houve um determinado dia que tive um treinamento com a principal liderança deste. Esta atividade consistia em falar sobre algumas características primordiais para que pudéssemos ter sucesso nas atividades que realizávamos. A tal dinâmica deveria acontecer utilizando um jogo de palavras para apontar em cada um dos participantes duas dessas características mais marcantes.

O interessante que a dinâmica começou com todos falando sobre mim, e me senti incomodado com tanta gente falando sobre seus pontos de vista positivamente ao meu respeito.

Ultimamente a nossa sociedade vive tão infestada de pessoas que focam em apontar erros alheios e seus pontos fracos, que criamos uma “casca”, nos fechamos totalmente ao ouvir elogios sinceros. Que me atire o primeiro mouse aquele que nunca disse “não, imagina” ou “que é isso, são seus olhos” quando alguem lhe fez um elogio, não importa qual ele seja? Não estamos acostumados com isso e acabamos “rebatendo” tais elogios para não parecermos arrogantes a quem nos elogiou. Percebi que estava me comportando desta maneira, mas notei rapidamente que não fazia sentido algum me comportar assim! Não há mal algum em dizer “obrigado” ou “sim, eu sou assim mesmo” e a partir daí levei a dinâmica em frente com uma leveza incrível!

Ao término da atividade concluí algumas coisas:

1- Ser criticado pode ser bom pois te faz melhorar, mas ser elogiado de uma forma que você mesmo não se vê, cria autoconfiança;

A critica é uma especialidade de muitos, mas o ato de elogiar é uma habilidade que poucos desenvolvem, e ter a habilidade de elogiar cria em você também a habilidade de receber elogios. E isso faz total sentido com um trecho do livro “Quem Pensa Enriquece” de Napoleon Hill, que diz que “para tornarmos bons recebedores, precisamos ser ótimos doadores”. Portanto, tá esperando o que para fazer um elogio sincero a alguém?

2- Você toma consciência que como as pessoas te observam é totalmente diferente daquilo que você acha que elas estão pensando sobre você;

Falo isso porque sempre tive aquela voz interna que pergunta quase sempre “o que será que ele(a) vai pensar sobre mim? Na real, pouco importa, o que importa é quem você realmente é, do médio para cima, nunca do médio para baixo;

3- A importância do sentido de ser responsável por um time, com base nos seus pensamentos, sentimentos e ações;

Criar sempre reflexos positivos baseados nesses 3 pilares para que possamos estimular ações parecidas naqueles que nos rodeiam. As pessoas nunca responderão de uma forma diferente daquilo que você se comunica com elas.

The hands of a concert crowd at a live music show, focus on the hand in the foreground

The hands of a concert crowd at a live music show, focus on the hand in the foreground

4- Interessar-se pelas pessoas não é importante, é primordial;

Percebi na ocasião que possuia características que pessoas admiravam em mim assim como apreciava diferentes características nelas que não as tenho. Interessar-se pelas pessoas e por sua historia as inspira a buscar um aprofundamento em seu autoconhecimento e alavanca seu próprio. Interessar-se pelas pessoas só é bom quando vc se interessa em doar o que você tem, e não sugar o que você precisa. E você só consegue isso quando tem uma autoimagem saudável, sabendo exatamente quem você é.

5- Perceber que tem mais poder na mão do que imagina;

Ouvir em uma “paulada” só e de várias pessoas como elas te veem é uma forma eficientissima de expandirmos aquela “carapaça” que construímos sobre nós mesmos que “não conseguimos fazer isso por causa daquilo”, esses pequenos escudos emocionais que nos limitam de ir pra batalha pra vencer, não de ir até lá só para não se machucar tanto. Percebendo que de fato não é dessa forma que criamos força que nos move a vencer.

Por fim, aprendi cada vez mais com cada situação que me foi colocada a frente desde então, por mais simples que ela fosse, pois ali tive uma grande oportunidade de melhorar e lapidar meu caráter e minhas habilidades. Lasca por lasca, pressão por pressão, e um trabalho de formiguinha.

Pô, deixa um comentário aqui...