Intelectual

Erros mais comuns cometidos ao falar/escrever português (Parte 1)

É muito comum nos depararmos com muitos erros de português escritos nas redes sociais. Por muitas vezes bate aquela dúvida referente algumas palavras e até mesmo um branco quando vamos escrever determinado texto.

Sendo assim separei 20 erros de português ou se preferir 20 dicas referente a alguns erros que vejo como mais comuns por aqui – internet.

Meu intuito é clarear sua mente e de certa forma fazer com que não erre mais. Então vamos lá:

1. Mal ou Mau;

Errado: O jogador estava mau posicionado.
Certo: 
O jogador estava mal posicionado.
Por quê?
 Mal opõe-se a bem. Mau opõe-se a bom. Assim: mal-humorado, mal-intencionado, mal-estar, homem mau.

2. Para mim ou Para eu fazer;

Errado: Era para mim fazer a apresentação, mas tive de me ausentar.
Certo: 
Era para eu fazer a apresentação, mas tive de me ausentar.
Por quê? 
“Para eu” deve ser usado quando se referir ao sujeito da frase e for seguido de um verbo no infinitivo.

Observação: Mim não conjuga verbo!

3. Mas ou Mais;

Errado: Gostaria de ter viajado, mais tive um imprevisto.
Certo: 
Gostaria de ter viajado, mas tive um imprevisto.
Por quê?
 Mas é conjunção adversativa e significa “porém”. Mais é advérbio de intensidade.

Exemplo: Adicione mais [intensidade/quantidade] açúcar se quiser.

4. Perca ou Perda;

Errado: Há muita perca de tempo com banalidades.
Certo: 
Há muita perda de tempo com banalidades.
Por quê? 
Perca é verbo e perda é substantivo.

Exemplo: Não perca as esperanças!

Exemplo: Essa perda foi irreparável.

5. Traz ou Trás;

Errado: Ele olhou para traz e viu o vulto.
Certo: 
Ele olhou para trás e viu o vulto.
Por quê?
 Trás = significa parte posterior. Traz é a conjugação do verbo “trazer” na 3ª pessoa do singular do Presente do Indicativo.

Exemplo: Ela sempre traz os relatórios para a gerência.

6. Menos ou Menas;

Errado: Os atendentes fizeram menas tarefas hoje.
Certo: 
Os atendentes fizeram menos tarefas hoje.
Por quê?
 “Menas” não existe. Mesmo referindo-se a palavras femininas, use sempre menos.

Exemplo: Havia menos pessoas naquele departamento.

7. Acerca de ou a cerca de;

Errado: Estavam discutindo a cerca de política. 
Certo: 
Estavam discutindo acerca de política.
Por quê?
 Acerca de significa “a respeito de”. A cerca de indica aproximação.

Exemplo: Eu trabalho a cerca de 5 km daqui.

8. Meio-dia e meio ou Meio-dia e meia;

Errado: Nesta empresa, o horário de almoço inicia ao meio-dia e meio.
Certo: 
Nesta empresa, o horário de almoço inicia ao meio-dia e meia.
Por quê? 
O correto é meio-dia e meia, pois o numeral fracionário concorda em gênero com a palavra hora.

9. Namorar alguém ou Namorar com alguém;

Errado: Maria namora com Paulo.
Certo: 
Maria namora Paulo.

Na tradição da língua, o verbo namorar é transitivo direto, ou seja, seu complemento não deve acompanhar-se de preposição. Quem namora simplesmente namora, quando coloco COM passa a ideia de companhia. Logo, além de Paulo teria outra pessoa junto com eles.

10. Emprego dos porquês


POR QUE:

A forma por que é a sequência de uma preposição (por) e um pronome interrogativo (que). Equivale a “por qual razão”, “por qual motivo”:

Exemplos:

Desejo saber por que você voltou tão tarde para casa.
Por que você comprou este casaco?

 

POR QUÊ:

Utilizamos imediatamente antes de um ponto (final, de interrogação, de exclamação) ou de reticências, a sequência deve ser grafada por quê, pois, devido à posição na frase, o monossílabo “que passa a ser tônico.

Exemplos:

Estudei bastante ontem à noite. Sabe por quê?

PORQUE:

A forma porque é uma conjunção, equivalendo a pois, já que, uma vez que, como. Costuma ser utilizado em respostas, para explicação ou causa.

Exemplos:

Vou ao supermercado porque não temos mais frutas.
Não fui à aula ontem porque estava doente.

PORQUÊ

A forma porquê representa um substantivo. Significa “causa”, “razão”, “motivo” e normalmente surge acompanhada de palavra determinante (artigo, por exemplo).

Exemplos:

Não consigo entender o porquê de sua ausência

 

Pô, deixa um comentário aqui...