Social

Decidimos viver hoje como se fosse o nosso último dia. E você?

E se for, você viveu tudo que precisava e queria viver até então?

Você já ouviu a frase: “Viva o hoje como se fosse o último dia de sua vida”?

Ouço constantemente as pessoas falarem isso, seja para outras pessoas, ou até mesmo para elas mesmas. Elas dão esse conselho como se fossem as pessoas mais sábias do universo paralelo. Só que o ponto crucial é que a maioria das pessoas, para não falar todas, afirmam isso num sentido de: fazer o que quiser; fazer aquilo que sempre teve vontade, mas faltou coragem; viver sem rumo; entre outras.

Viva o hoje como se fosse o último dia de sua vida

Acho sim que essa frase tem sua importância e relevância, entretanto não nesse sentido em que os “sábios” propõem. Faz anos que eu decidi viver minha vida como se fosse o último dia. Quando encontrei o propósito para que eu nasci, quando percebi que o tempo voa e não dá para recuperar, quando percebi que as oportunidades desperdiçadas muitas vezes não voltam, foi inevitável não viver como o último dia da minha vida.

Já parou para pensar e aplicar essa frase em todas as áreas da sua vida, todavia, tratando com uma nova perspectiva: a excelência.

Eu fiz um pacto comigo mesmo em que a excelência estará presente em minha vida todos os dias, afinal, eu vivo eles como se fossem o último. Faço tudo com a maior disposição, aliás, eles podem ser o último dia. Sim, eu vivo cada dia como se fosse o último; e é exatamente por isso que eu tenho comprometimento com meus amigos, minha família, meus colegas de trabalho.

Eu tenho uma convicção de tudo o que eu faço é fruto das minhas escolhas, sendo essas escolhas essência para a construção de quem eu sou. Eu não olho para trás e fico afirmando o que poderia ter feito ou não, eu simplesmente faço hoje aquilo que dá para ser feito. Não choro sobre o leite derramado, e um conselho que eu tenho para você é que também não faça isso.

Mas o que devo fazer?

Ouvi uma história há muitos anos de um rapaz que perguntou para um homem: “Como você viveria se hoje fosse o seu último dia de vida?” o homem prontamente respondeu: “Eu viveria exatamente como eu vivo”.

Será que você poderia responder desse mesmo modo? Ou você vive em um trabalho infeliz, estuda algo que te deixa infeliz, ou até mesmo, não encontrou ainda o propósito da sua existência.

Desde então eu foquei todas as minhas forças no meu hoje, assim como escrevi num artigo aqui na Fábrica de Mentes e atrevo-me sem nenhuma preocupação ou culpa de dizer que se hoje fosse meu último dia eu viveria do jeito que estou vivendo, pois em mim há uma convicção de que estou fazendo o certo.

Aliás, se hoje eu tivesse apenas mais uma hora de vida, com certeza eu iria à Starbucks, pediria um cappuccino com canela, pegaria alguns papéis e escreveria alguns poemas.

Se hoje fosse meu último dia, escreveria poemas no Starbucks.

Pô, deixa um comentário aqui...