Do leitor

Por que mentimos?

Em 2011 uma pessoa postou em seu Facebook a foto no altar com a legenda “SIM”; essa pessoa, a noiva. Sorriso assimétrico, sem envolvimento das rugas nos olhos e testa lisa. Pensei em escrever minha opinião, mas quem sou eu? Início de 2012, o agora ex-marido escreve um texto enorme, coisa de corno.

Não sou um vidente de casamentos, meus serviços de mediunidade não estão à venda. Sim, posso prever muitas coisas e isso não tem nada a ver com super poderes, está mais para matemática. Só ciência.

Sou um detector de mentiras humano, e acredite, isso faz de mim mais preciso que um polígrafo que não conhece a diferença entre excitação e falsidade. Quer que alguém seja pego mentindo? Coloque um objeto de desejo sexual para fazer a entrevista no polígrafo.

E se você for como a maioria, a sua primeira impressão até agora é:

-“Quero aprender essa ciência!” –  Não, você não quer. Você só acha que quer.

Estatisticamente falando, uma pessoa comum mente 3 vezes a cada 10 minutos de conversa. Nada mais óbvio do que a ideia que todo mundo mente, por padrão.

Você não iria se divertir podendo ver essas coisas. Você, provavelmente começaria a desejar nunca ter a capacidade de ver o mundo dessa maneira.

Analisar a sobrancelha da menina de calcinha de renda a sua frente não é lá a coisa mais divertida a se fazer no momento.

Afiliar-se a uma cruzada para desmascarar mentirosos pode ser um pouco desgastante. Imagine você, “desmascarando” aquela pessoa no ônibus que conversa dizendo amar o namorado. Parabéns! Agora todos sabem que ela não o ama, e você pontuou. Um mentiroso a menos… Faltam 7 bilhões.

Assim como a maioria, inicialmente eu queria ver a verdade. Saber se as pessoas estavam mentindo. Fiquei velho e percebi o óbvio, todos mentem a todo tempo!

lying

A questão é: POR QUE mentem?

A minha primeira ideia a respeito foi que as pessoas mentiam porque tinham dificuldade de calcular as consequências disso. Como uma garota que se torna amante de um cara casado ou com namorada e não consegue perceber que a lei natural fará com que no namoro dela, ela seja a traída.

Ainda seguro comigo essa ideia. Vivemos sem perceber resultados futuros, nossos pesos nunca são sobre as consequências. Nós nunca nos consideramos causa, e isso basta para uma vida infeliz.

A segunda ideia é que somos viciados em mentiras, nosso padrão mental operante é esse. É essa a coisa mais idiota da raça humana. Pessoas que me conhecem a ponto de saber da minha habilidade com a leitura corporal mentem pra mim (Ao menos tentam). Eu fico me perguntando: “o que será que passa na cabeça desse idiota?”. Minha única conclusão é que essa pessoa está seguindo seu vício.

Podemos mentir para nos proteger, para proteger alguém, para não magoar, por sermos viciados ou por não conseguimos medir as consequências, não importa se os motivos são esses ou milhares de outros possíveis.

Para chegarmos a um denominador preciso trocar a pergunta agora, preciso deixar o “por que” de lado e começar uma nova, a saber: PARA QUE?

Independente do que você encontre como “por que” nós mentimos apenas e exclusivamente para uma coisa. Nós mentimos para nos sentirmos bem.

Quando seu namorado está fazendo dieta, mas não perde peso e você diz a ele que parece mais magro, você não está mentindo para que ele não fique triste! Você está mentindo para não ter que se sentir mal no momento que perceber que ele ficou triste!

No exemplo acima, você viu uma mentira “branca”. As mentirinhas que contamos para manter o equilíbrio social. Ao meu ver, é só uma mentira como as outras.

É preciso muito poder para se livrar do seus instintos e ser verdadeiro. É preciso muita coragem para dizer o que pensa e manter o peito aberto para aceitar o que vier.

Há alguns anos deixei de ser um grande mentiroso pra me tornar uma pessoa comprometida com a verdade. Isso que dizer que eu não minto? Não sei. Mas com certeza quer dizer que eu luto diariamente para que as únicas coisas que saiam da minha boca sejam a verdade, doa a quem doer, pareça rude o quanto parecer.

Eu não sei em qual caminho você está agora, mas eu já fui até o fim da estrada com as mentiras e o final lá não é bonito.

Eu preciso acreditar que as pessoas podem ser melhores do que suas desculpas para continuarem a mentir. Por isso este texto.

Eu preciso acreditar que você vai perceber que as mentiras estão lhe tirando tudo, e que você pode se salvar.

Eu preciso acreditar na ideia que um texto pode te fazer pensar.

Caso não, você vai fracassar.

Não precisa dar atenção às coisas que lhe digo, pode continuar fazendo o que sempre fez e destruindo o que não conseguirá mais reconstruir.

A vida é sua, estrague-a como quiser.

Só nunca se esqueça que a verdade está escrita no seu rosto e será escrita nas consequências da sua história.

Pô, deixa um comentário aqui...