Do leitor

Empreender é bem mais que abrir uma empresa

Com a popularidade do termo “empreendedorismo” muita gente tem se preocupado em adotar atitudes empreendedoras. Mas, você sabe qual é o real sentido desta palavra tão usada nos dias de hoje? Segundo o dicionário Aurélio, empreendedor é aquele que empreende; que é animoso para empreender; trabalhador; amigo que ganhar a vida traçando empresas novas, inovando.

Perceba que o centro da resposta está ligado à inovação.

Porém, a maioria das empresas brasileiras tem dificuldades financeiras logo no início de sua trajetória e sucumbe nos primeiros cinco anos de existência. Isso acontece muito antes de conseguir firmar a tão sonhada inovação aos seus consumidores. E uma das maiores barreiras entre a vontade de empreender e o sucesso é a má administração. Colocar pessoas erradas nos lugares errados.

Como disse Steve Jobs: “Faça aquilo que você é bom, delegue o resto.”

 

Os três setores base

Certa vez, conversando com um cliente, ele me questionou: O que você faria no meu lugar para que a empresa se desenvolva de maneira sólida? Minha resposta foi imediata: Demitir você do cargo de administrador. Ele ficou chocado com a resposta e questionou o porquê dela.

E expliquei da seguinte maneira: Uma empresa de sucesso deve ser dividida em três pilares: administrativo, financeiro e operário. E é muito importante que cada tipo de colaborador esteja na área correta. Se você colocar um operário para administrar uma empresa, ele certamente conseguirá desenvolver um trabalho interessante nos primeiros anos. Entretanto, as chances dele não passar dos tais cinco anos iniciais é grande.

Inicialmente o administrador é responsável por fechar os negócios da empresa, tomar decisões de maneira rápida e objetiva e repassá-las para a linha operacional. Ele ainda deve vistoriar o custo das matérias primas e, por consequência, acaba sendo o responsável pelos lucros imediatos da empresa.

Para auxiliar o trabalho do administrador, há o gestor de finanças. Esse profissional é o primeiro a saber se a empresa está indo bem ou mal. Se há uma “corda bamba” entre a administração e os operários da fábrica. Da mesma forma, é o primeiro a saber se as decisões do administrador estão de acordo com os interesses da empresa ou não.

Muitas empresas iniciantes confundem as finanças do empreendimento com as finanças pessoais do chefe. É para manter o limite entre essas duas situações e evitar erros no orçamento que existe o gestor financeiro. Alguém que se foca somente nas finanças é essencial para a sobrevivência do negócio. O principal feedback sobre a evolução da empresa vem desse profissional.  

Por fim, e igualmente importantes, os operários. São eles que aplicam toda a teoria. Eles que desenvolvem o produto final. Eles devem ser os empregados mais motivados e os que necessitam de mais atenção no decorrer da evolução da sua empresa. É preciso estar certo de que os operários estão alinhados e envolvidos com os objetivos do negócio a fim de que os meios sejam bem executados.

Por mais que lhe pareça necessário, no início, concentrar as atividades administrativas e financeiras em apenas um profissional, tenha certeza de que isso é um erro.  Para empreender com sucesso, é preciso saber delegar para as pessoas certas e trabalhar com uma equipe coesa.

Quem empreende bem, empreende com planejamento.

 

Pô, deixa um comentário aqui...