Uncategorized

QSD #08 – Três passos para ficar de boa

E aí, beleza? Meu nome é Evandro Pimentel, sou jornalista, e o que eu vou dizer nessa Quarta sem dono pode parecer um tanto quanto prepotente, mas acho que descobri o segredo da vida. E o segredo é: fazer terapia.

Brincadeira.

Quer dizer, se você quiser fazer terapia, ótimo, tomara que funcione. Mas uma vez meu pai me salvou muito tempo (e dinheiro, que, querendo ou não, é algo importante, vamos combinar) com apenas uma frase: “o segredo da vida é ficar de boa”. Assim, com essas exatas palavras. De cara achei meio estranho, simples demais, achei que ele tinha falado aquilo para se livrar do filho chato em “crise existencial” no bar. Mas não demorou muito para eu descobrir que ele tinha razão (dica piegas do dia: preste atenção nos conselhos dos seus pais). Lógico que para ele essa descoberta foi fruto de diversas reflexões e experiências ao longo da vida, e eu ainda tenho um tempo até chegar aos 50 anos de idade, mas essa frase me ajudou a tirar minhas próprias conclusões.

A primeira foi que “ficar de boa” não é aceitar tudo que aparece e não fazer nada a respeito. Na verdade, é quase o oposto disso. “Ficar de boa” consiste em focar seus pensamentos nas partes boas da sua vida e ir atrás dos seus objetivos com isso em mente, e não ficar pirando com coisas que você não pode mudar. Porque sim, há coisas que a gente não pode mudar. E tudo bem.

Olha você já todo preocupado com isso. Não aprendeu nada ainda, né? Fica de boa! Normalmente as coisas que a gente não pode mudar são as que menos afetam a nossa vida e – agora vem minha segunda conclusão – a maioria dessas situações vem do fato das pessoas pensarem diferente. Não estou falando de certo e errado, mesmo porque as coisas nunca (NUNCA) são preto-no-branco, mas de maneiras de encarar a vida.

A gente costuma pensar que tudo seria mais fácil se as pessoas nos entendessem sempre, pensassem como a gente o tempo todo, que assim tudo seria lindo e viveríamos todos em harmonia, mas será mesmo? Cada pessoa é um universo inteiro e não existem dois universos idênticos, e isso é lindo demais, porque é o que permite que as trocas que nos fazem evoluir aconteçam. Então, quando alguém fizer algo que você acha que faria diferente, fique de boa e tente se colocar no lugar da pessoa. Não tire conclusões levando em conta apenas o seu universo. Você vai perceber que muitas coisas chegam até você de formas inesperadas e o que de início parecia um grande problema pode na verdade ser algo maravilhoso.

deboa

E com isso vem também a minha terceira e última (por enquanto) conclusão: é preciso abrir a mente para ideias diferentes das suas e assim conseguir perceber o que o universo lhe entrega. Quando você está de boa, você percebe melhor as coisas e fica mais fácil enxergar que o amor chega até você de diversas formas, assim como as oportunidades e, claro, os obstáculos. Tudo que a gente vê com mais clareza fica mais fácil de aceitar ou mudar, e quando você menos esperar vai perceber que sua vida é muito melhor do que você imagina.

Pô, deixa um comentário aqui...